terça-feira, 20 de abril de 2010

Quebra da barreira da tecnologia




Vivemos os extremos da vida,
Conduzidos por seres que desejam evoluir,
E do outro lado, seres que desejam o contrário.

Uma grande escada que sobe e desce
O minimalismo da gangorra universal,
Em que cada força produz sua semelhante
No oposto da mesma balança,
Sofrendo o impacto e rebatendo a 180 graus,
Ultrapassando a barreira do equilíbrio,
Encontrada em qualquer extremo.

Cidades se expandem, a natureza se retrai,
Sobrevivendo apenas o ser que mais se defendeu,
Enfim pronto para troca de energia.


escrito em meados de 2005

3 comentários:

  1. Poxa, cara, faz um tempão que eu vou nesses extremos. Acho que é a vida chegando... ou indo, não é mesmo? Vixi, vão lá saber os Diabos da metafísica! Rsrrs. "Cidades se expandem, a natureza se retrai." É, é o que aconteceu comigo, cara. A capital comprando o interior. O meu interior. Bem, oxalá eu fique pronto para a troca de energia... um dia.

    ResponderExcluir
  2. Definir nossa realidade não está sendo facil com tanta velocidade de transformação...
    belissimo...
    abços

    ResponderExcluir
  3. Definir nossa realidade não está sendo facil com tanta velocidade de transformação...
    belissimo...
    abços

    ResponderExcluir