quarta-feira, 24 de dezembro de 2008

Geração
Tudo que toca deixa lastro
Momento que incendeia
Abre espaço, torna vasto
No caminho, permeia


Obs. conheça o "Conceitos são reflexos", meu novo blog:
http://conceitossaoreflexos.blogspot.com/

quarta-feira, 17 de dezembro de 2008

Desconcertante. Embaraçosa. Linda!

Dar passagem ao novo. Desapego. "Passou!" Nada mais. (...) Palavras simples, porém duras. (...) Como esquecer alguém que passou pela nossa vida e deixou marcas? A sentença já fala por si só: "deixou marcas". (...) Não! Não estou falando de alguém em específico. Antes de tudo, quero deixar isto bem claro. Quando toco neste ponto, quero falar de todas as pessoas que passaram, estão ou passarão (ainda não sabemos quem são, mas elas existem!) pela nossa estrada. Algumas apenas colhem e nada mais. Outras nos sensibilizam de certa forma que não tem explicação. (...) Não sei o que mais. (...) Palavras desconexas... Mas precisava. Desculpe por qualquer coisa. Apenas um desabafo. (...) Às vezes penso (e a cada dia tenho mais certeza) que sou de uma natureza melancólica (alguém já disse isto!).
(Após a peça “Aldeotas”, Texto: Gero Camilo; Direção: Cristiane Paoli Quito; Elenco: Gero Camilo e Marat Descartes)

quinta-feira, 11 de dezembro de 2008

não necessita de um título

nada do que escrevo ultimamente me agrada, me falta espontaneidade e a essência que sempre envolveu o ambiente e a mente.
sei que é algo que depende exclusivamente de mim, porém é como se tivesse perdido o rumo...
agora reflito sobre o ocorrido e vejo que pode ser devido à transformação do meu Ser, algo dolorido e necessário.
neste período confuso, ainda estou descobrindo meu caminho, e espero trilhá-lo com passos firmes e conscientes.
a consciência é o que sempre enxerga os limites, e também o que pode superá-los.


04/12/2008

quarta-feira, 3 de dezembro de 2008

Arrebentação

Sucessão de idas e vindas na vida. Pessoas. Passagens. (...) A gente se acostuma. Vamos descobrindo formas de enganar a saudade. (...) Mas até quando o coração agüenta? Arrebenta. Lágrimas. Silêncio.