domingo, 19 de setembro de 2010

E das flores...

Há tempos esperava um disco voador para tirá-lo dali. Há tempos queria sair dali. Há tempos. (...) Cansado já estava de ser mais um na frente da tv. Porém, o engraçado era que, após descobrir tudo isso, queria voltar e nunca... Mas nunca ter pensando isso tudo. Pois, assim talvez fosse mais feliz. Talvez.

3 comentários:

  1. Certas voltas não tem culpa de ser.
    Certas culpas não tem volta.
    Certas fugas não tem saída.
    Certas coisas são assim mesmo e não temos saída de emergência.
    Tão pouco....

    ResponderExcluir
  2. ah,estes "talvezes"...

    as coisas nunca são para ser.
    só estão, e ponto.

    ResponderExcluir
  3. Essa terrível sensação de não existir também me atormenta. Somos mesmo insignificantes nesse universo. Fugir não resolve. O problema é sempre nós. Pensamos muito, talvez fosse melhor não termos consciência. Talvez se não pensássemos não existiriam problemas.

    ResponderExcluir