quarta-feira, 18 de junho de 2008

Percepção não moldada

“(...) Ele não entendia porque as pessoas grandes sempre olhavam para aquele negócio na parede, aquilo que eles chamavam de relógio. Era como se aquele objeto os repreendesse de alguma forma. Mas ele não conhecia nem o significado de ‘repreender’ (...)”.

6 comentários:

  1. Eu não queria ser gente grande. Eles vivem adiantando os ponteiros, adiando atrasos. Ou apressando relógios, adiantando a vida... e quase sempre esquecem dos segundos do presente...

    ResponderExcluir
  2. Tantas coisas reeprendem mais que horarios.
    Tantas vezes basta não olhar a hora, jogar o relogio de pulso fora e viver no tempo que acha certo.
    Também deixa a alma gorda, mesmo que por um instante-inconsequente- único.

    ResponderExcluir
  3. Ser "preso" pelo relógio é a pior coisa (ou uma das piores) que pode nos acontecer. Ele sufoca, nos causa ansiedade e quase sempre não nos deixa fazer o que realmente queremos. Ele sempre está lá na parece nos forçando a viver mecanicamente em seu favor.

    ResponderExcluir
  4. e o pior eh q o relogio faz parte de nossa vida...mas se nao fosse, seria bem melhor...pois assim com certeza...teriamos mais tempo para viver...e nao para só trabalhar e se estressar...

    abraços

    ResponderExcluir
  5. Só pra ficar registrado que foi sem sua ajuda!
    HÁA

    ResponderExcluir
  6. Talvez porque ele fosse algo que anda esquecido... ainda era inocente.

    Beijos (Des)conexos!

    ResponderExcluir